Bem vindo ao Portal do IGc USP
    

Integração temática e funcional entre os equipamentos

 

Dois dos avanços mais recentes da geologia do Quaternário foram os estudos de variação de composição isotópica de alta precisão em espeleotemas, corais e carapaças carbonáticas, acompanhados de datações U/Th ou 14C AMS, e a consolidação do método de datação por luminescência opticamente estimulada (LOE), especialmente após a proposta do protocolo SAR (Single-Aliquot Regeneration) de Murray & Wintle (2000) e das técnicas de datação de grãos individuais. Ambos os avanços relacionam-se ao estabelecimento de sucessões estratigráficas, e das mudanças ambientais por elas traduzidas, devidamente situadas no tempo geológico.

 

Neste contexto, a finalidade geral deste projeto é adquirir e disponibilizar, em caráter multiusuário, equipamentos de pré-preparação e datação de amostras pelo método LOE-SAR e de microssondagem, a serem aplicados principalmente em pesquisas de mudanças ambientais no Quaternário. A meta é estimular a obtenção e comparação, com controle cronológico preciso, entre registros paleoambientais-paleoclimáticos de sedimentos terrígenos e de sedimentos carbonáticos (por exemplo, areias eólicas versus corais, em contextos costeiros; ou areias de rios subterrâneos versus espeleotemas, em contextos continentais).

 

Pretende-se combinar a excelente infra-estrutura laboratorial disponível no Instituto de Geociências (IGc) da USP para o estudo de depósitos quaternários (e que inclui laboratórios de Isótopos Estáveis, Sedimentologia, Petrografia Sedimentar e Neotectônica), com a aquisição de novos equipamentos necessários para a microamostragem de precisão e a datação destes depósitos. O objetivo principal é atender a grande demanda da geociências nacional, em termos de método analítico. O Estado de São Paulo, através do IGc-USP, dispõe do mais bem equipado e ativo centro de pesquisas geocronológicas da América Latina. A despeito disso, não existia até então, nesta instituição, equipamento de datação, voltado a sedimentos terrígenos quaternários, que conciliasse precisão com capacidade de atender demanda numerosa.

 

O LOE-SAR é o mais aceito método de datação a satisfazer estes dois requisitos, com amplitude que varia de algumas décadas até centenas de milhares de anos (Figura 1).

Figura 1. Amplitude temporal das datações usuais em estudos do Quaternário.


Referência

 

Murray, A.S., Wintle, A.G. 2000. Luminescence dating of quartz using an improved single-aliquot regenerative-dose protocol. Radiation Measurement 32: 57-73

Direitos Reservados © 1999-2017  Instituto de Geociências - Universidade de São Paulo
Login | Créditos